segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Desabafo por Cristiane Gamarano - Minas Gerais

Pela amiga Cristiane Gamarano:

Eu fico sempre admirada com a minha força e determinação em sempre manter as glicemias dentro do padrão, e a minha saúde perfeita . Confesso que erro e muito, por causa dos meus excessos, provoco hipoglicemias, que em grande parte não são nada cordiais comigo. Juro, não ligo em ter que furar meus dedos uma média de 8 vezes ao dia, de ver neles a marca dos meus cuidados. Não ligo de comprometer mais de 50% do meu orçamento, com plano de saúde, consultas e medicamentos. Faço questão de fazer no mínimo 6 horas semanais de bicicleta o que dá no mínimo 150 km percorridos por semana. Confesso que as vezes ao final de um dia de trabalho quando o cansaço já me consome, a minha vontade é de ir para casa dormir, e com o calor que está fazendo ultimamente esta vontade só aumenta. Entretanto, em 99% das vezes fico só na vontade mesmo, e lá vou eu pedalar. Cortei a gordura da minha alimentação, nada de frituras, nada de comida gordurosa, nada de doces (exceto em caso de hipoglicemias). Enfim, faço a minha parte. Entretanto, os meus governantes não fazem a parte dele e isto me faz ficar com muita raiva, já ouvi tantas coisas absurdas. Eu sei que a saúde do cidadão é dever do Estado. Mas, para o Estado cumprir o dever dele você as vezes temos que entrar com uma ação judicial e mesmo assim, isto não é garantia. Meus insumos, por exemplo, que foram conseguidos via ação judicial estão em falta, sem eles minha bomba de insulina não funciona, minha glicemia não é medida e meu controle fica comprometido. Ligo n a secretaria de saúde cobrando os insumos, e a resposta? "está em falta e/ou em processo de compra minha senhora". E eu faço o que? Sento e choro? Faço empréstimo em banco? Eu dobro o tempo de uso dos insumos comprometendo minha saúde? Eu economizo nas fitas e verifico menos a minha glicemia? Pior ainda é você ligar cobrando e ter de ouvir da atendente "os insumos não estão em falta, mas infelizmente/ somente iremos fatura-los no mês que vem". Ah! Então tudo bem, foda-se você este mês.
Como se não bastasse o transtorno com o diabetes, o colesterol também resolve sair dos eixos, a sinvastatina não resolve o problema e outro medicamento entra na lista para tornar ainda mais oneroso os meus gastos com a minha saúde. Fico sabendo que o medicamento é fornecido via processo administrativo pelo estado de Minas. Eu junto a papelada, um tanto de exames e levo para o meu medico preencher o formulário, perco no mínimo meia hora da minha consulta. Junto a papelada viajo quase 80 km para entregar, dois meses depois processo indeferido o motivo? Segue: "a paciente embora portadora de diabetes tem menos de 50 anos de idade". Beleza, pessoas com menos de 50 anos podem ter colesterol descompensado. Uma coisa eu deixo bem clara os governantes da nossa querida Minas Gerais, eu irei viver e muito para da bastante despesas para o estado. E com relação o processo da atorvastatina? Resolvi continuar comprando o medicamento pois, embora vocês estejam nem aí com a minha saúde, eu estou muito comprometida com ela. Eu engulo o descaso, a falta de respeito e humanidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário