terça-feira, 29 de outubro de 2013

Esse é o Bruno...















Eu sou o Bruno Pereira e estou lançando o meu primeiro livro “Aventuras a 90 de Glicemia”, que conta um pouquinho da minha história de vida com o diabetes, desde o diagnóstico, passando pelas dificuldades e superação em família até as minhas viagens para outros países da América do Sul participando de acampamentos de jovens com diabetes e ministrando cursos nesta área.

O objetivo do livro é mostrar aos jovens e adolescentes que o diabetes não é nenhum bicho de sete cabeças e que é possível ter uma vida feliz, sem abrir mão do que se gosta de fazer.

Gostaria de convidar a todos para o lançamento, que será no sábado 09/11/2013 a partir das 16 horas.

Aqueles que planejam ir, podem confirmar presença no evento pelo Facebook: https://www.facebook.com/events/1414817088747279/

E para aqueles que não puderem estar no evento, o livro já está a venda na página: https://clubedeautores.com.br/book/152054--Aventuras_a_9_de_Glicemia


Parabéns Bruno!!! No mês da diabetes, um ótimo exemplo para todos nós!!!

É possível sim viver bem com a Diabetes!!!

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Pequenas coisas que fazem uma pessoa diabética feliz...

No geral, a situação para os diabéticos em relação a conseguir seus medicamentos, insumos, atendimento médico etc, é mais negativa do que positiva. E quando é mais negativa, costumamos falar mais, para ver se as coisas melhoram né...
Porém, na sexta-feira aconteceu algo tão pequeno, mas que pra mim foi algo grandioso sabe... Algo que na verdade deveria ser tão corriqueiro na vida de um diabético de qualquer lugar...
Fui à farmácia pegar meus remédios e insumos. Toda vez temos que levar o glicosímetro para descarregar os valores das glicemias...A atendente ao observar que eu fazia muitas medições me falou: "nossa, você mede bastante né? as 200 fitas dão pra você usar? porque se acabar antes, você vem aqui pegar mais hein!" Falei pra ela que não seria necessário não eu pegar mais, pois tinha dias que fazia mais e outros que fazia menos, que então compensava...
Agora me falem, não é de admirar? Pois, sei de lugares que as pessoas não recebem o tanto necessário ou às vezes nem tem para receberem...
E você, o que tem a dizer sobre isso?