quinta-feira, 28 de julho de 2011

Novidades no meu pedaço...

Oi gente!!! Novidades no pedaço...Estou pra começar uma dieta, aliada a muita água e alguns remedinhos naturais pra tentar emagrecer...Era pra ter começado hoje...mas como acordei atrasada e o programinha que terei que seguir é cheio de horários...deixei pra começar amanhã...
Mas, ontem como pensei que começaria hoje com a dieta...coloquei o pé na jaca...rs...e comi o maior pastel de queijo...rs...Tava uma delícia...isso foi a noitinha...ainda ia ter que jantar mais tarde...Aí pensei...como é meu último dia mesmo de regalias...vou comer pizzinhas no jantar...Mas, ainda bem que não fiz isso...acho que o organismo já tava tão sobrecarregado com o pastel, que mudei de ideia...Primeiro, pensei em fazer somente uma saladinha...pq já tava muito tarde...
         
                              

Como eu ia fazer salada, o Douglas resolveu fazer um arroz integral na nossa panela elétrica...e como tínhamos voltado do supermercado com um lindo e barato brócolis, colocamos no vapor da panela de arroz (3 minutinhos)...

Pronto...fizemos a maior jantinha saudável...pra tentar diminuir os impactos daquele pastel encharcado que havíamos comido...rs...

Ahhh...e pra completar...tem que ter atividade física né...vou comprar aquele tapete de dança...quem sabe eu me animo a fazer mais exercício com isso...rs...

domingo, 24 de julho de 2011

Sábado a noite...

Adoro sopas! Aqui em casa sempre tem...e tem umas que são mais frequentes...ou seja, aquelas que gostamos mais...Uma das favoritas é a sopa de ervilha...É uma delícia...e bem simples...Fritamos o alho no azeite...colocamos um pouco de molho vermelho pra dar uma corzinha... jogamos a ervilha crua, damos uma misturada, colocamos água quente e vai pra pressão...Depois de uns 15-20 minutos ela já tá bem cozida...Aí é só jogar uns tomates picados, azeitona e cheiro verde...Na hora de comer, colocamos uma verdurinha, que dessa vez foi o agrião e colocamos um pãozinho torrado com azeite e óregano...Essa daí foi o Douglas que fez...hummmmm...amei!


A Ervilha Ajuda a fortalecer os ossos

As ervilhas fornecem nutrientes que são importantes para a manutenção da saúde óssea. São uma boa fonte da vitamina K, sendo que alguma dessa parte é convertida em K2, que ativa a osteocalcina, a maior proteína não-colagénea dos ossos. A osteocalcina funciona como âncoras nas moléculas de cálcio dentro do osso. Portanto, sem vitamina K2 suficiente, os níveis de osteocalcina são insuficientes e a mineralização óssea é prejudicada.
As ervilhas também servem como uma boa fonte de ácido fólico e uma boa fonte de vitamina B6. Esses dois nutrientes ajudam a reduzir a acumulação de um subproduto metabólico chamado homocisteína, uma molécula perigosa que pode obstruir os níveis de colageno, resultando numa má matriz óssea e osteoporose. Um estudo mostrou que as mulheres na pós-menopausa às quais não foi verificado um défice de ácido fólico, reduziram os seus níveis de homocisteína, simplesmente, completando com ácido fólico, por si só.

A Ervilha Ajuda o seu coração

Além de afetar a saúde óssea, a homocisteína contribui para a aterosclerose através da sua capacidade de danificar os vasos sanguíneos, mantendo-os num estado constante de lesão. Portanto, o ácido fólico e a vitamina B6 existentes nas ervilhas são também favoráveis à saúde cardiovascular. De fato, o ácido fólico é importante para a função cardiovascular.
As contribuições das ervilhas para a saúde do coração não param por aí. A quantidade de vitamina K existente nas ervilhas é fundamental para a saúde do sangue do organismo e sua capacidade de coagulação.

A Ervilha contribui para a energia e o bem estar geral

As ervilhas são um dos alimentos mais importantes para incluir na sua dieta, o maior número de vezes possível, se você se sentir cansado e lento. Já que elas fornecem nutrientes que ajudam a suportar as células produtoras de energia e sistemas do corpo.
As ervilhas são ainda uma boa fonte da vitamina B1 e B6, riboflavina, vitamina B2 e niacina, e vitamina B3 que são nutrientes necessários para a produação de carboidratos, proteínas e metabolismo lipídico. As ervilhas são também uma boa fonte de ferro, um mineral necessário para a formação normal de células sanguíneas e da função, cuja deficiência resulta em anemia, fadiga, diminuição da função imunológica e problemas de aprendizagem. Além disso, as ervilhas são uma boa fonte da vitamina C, que protege muitas células produtoras de energia e sistemas no organismo dos danos dos radicais livres. Os tecidos do corpo com a vitamina C possui elevados requisitos que incluem particularmente as glândulas supra-renais, lente ocular, o fígado, sistema imunitário, tecido conjuntivo, e as gorduras circulantes no sangue.

A Ervilha promove uma saúde ótima

As ervilhas verdes fornecem nutrientes, incluindo a vitamina C, que são fundamentais para ajudar a prevenir o desenvolvimento de câncer. A elevada ingestão de vitamina C tem sido crucial para a redução dos riscos em praticamente todas as formas de câncer, como a leucemia, linfoma e pulmão, colo-retal, e câncer de pâncreas, assim como hormônios relacionados com o sexo como cânceres de mama, próstata, colo do útero e do ovário. A vitamina C é a primeira e mais eficaz linha de defesa antioxidante do seu corpo. A vitamina C protege estruturas celulares como o ADN de danos, ajudando o corpo a lidar com a poluição ambiental e os produtos químicos tóxicos, melhorando a função imunitária e inibindo a formação de compostos cancerígenos no corpo (como as nitrosaminas, substâncias químicas produzidas quando o corpo digere carnes processadas que contêm nitratos).

Fonte: http://www.i-legumes.com/ervilha_beneficios_saude.html

quarta-feira, 20 de julho de 2011

A1C: 6,8%

Moléculas de glicose ligadas à molécula de hemoglobina,
formando a hemoglobina glicada (A1C).
Gosto de fazer a A1C de 3 em 3 meses...porque assim fico esperta.
Não gostei do resultado desse mês: 6,8%...a última tinha sido 6,4%.
Mas, essa é a função desse exame mesmo...ver como está indo o tratamento...e se for necessário ajustar o que está errado.

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Conselho de mãe!

"Dani Yumi, sou mãe do Fernando Masaru, ele tem diabetes desde os 11 meses, hoje ele tem 8 anos.Passamos por muitas coisas, até pelo convite insistente de um pesquisador que queria que meu bebê recém-diagnosticado, depois de uma cetoacidose grave, participasse de seu experimento, nunca vou esquecer desse evento em minha vida, pois ele foi desumano comigo, mandou seu assistente me ligar e dizer coisas terríveis, como por exemplo que eu seria responsável pela perda de membros do meu filho que certamente aconteceria no futuro. A minha única condição para participar, era a garantia de que meu filho saísse vivo disso, isso ele não podia me garantir, nem que meu filho, se saísse vivo, não teria a DM1 de novo. Consultando o endocrinologista do meu menino, ele ficou irado, pois o risco de morte de um bebê recém saído de uma cetoacidose submetido a tal coisa era imenso, eu estava desesperada com a diabetes e com a chantagem daquela pessoa, que na minha impressão desconsiderou o sentimento de humanidade, acredita?Ele me perguntou se eu tinha outros filhos, como se algum substituiria o outro no caso de morte.Mas se desse certo, o nome dele iria para as alturas, talvez ganhasse o Nobel, porém se desse errado e tinha tudo pra isso conforme a natureza do experimento e as condições do meu bebê, ele simplesmente me diria um sinto muito e me lembraria que assinei o papel me responsabilizando pela tal consequência possível. Eles foram muito cruéis comigo, eu os odeio e jamais vou superar a falta de respeito por uma mãe desesperada que eles tiveram. Eu creio na cura sim, mas espero que com mais ética e humanidade do que isso que vivenciei.
às mães que se depararem no futuro com pesquisadores oferecendo a possível cura, fica o conselho: Perguntem, perguntem muito, todos os detalhes e possíveis efeitos colaterais e se houver, o possível risco de morte, eles se surpreenderam comigo, quiseram até saber minha formação, pois perguntei bastante, obrigando-os a me deixar ciente de todos os riscos, com o que me pareceu, eles não estavam acostumados. Fica com um beijo, Telma Hanazumi"

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Cura da Diabetes? Uma causa perdida?!

Sim! Acredito na cura da diabetes, assim como no empenho dos cientistas... Sei que muito se tem pesquisado para que chegue a cura. Mas, acho que pra isso acontecer, um longo caminho precisa ser trilhado, não vai surgir assim da noite para o dia. São anos de tentativas, de acertos e de erros, enormes quantidades de dinheiro são necessárias. É preciso certo tempo para comprovar a eficácia de tais procedimentos e por aí vai. Existem muitos grupos de pesquisas em instituições públicas e privadas engajados na descoberta da tão aguardada cura, estes grupos publicam artigos anualmente, ou seja, disponibilizam na rede de computadores os seus resultados, as suas descobertas. Isso serve para nós acreditarmos sim que estão trabalhando para se chegar à cura. A indústria farmacêutica pode dificultar, entretanto, não vai impedir que isso aconteça. Não acredito que a indústria tenha o poder de calar uma legião de cientistas que passa longos anos de suas vidas em uma bancada de laboratório chegando a trabalhar mais de 12 horas diárias que viram noites fazendo pesquisas na internet, estudando os melhores experimentos para serem realizados. E outra, essa mesma indústria que atua em uma vertente econômica, tem também a sua vertente social para cumprir. Apesar de a indústria farmacêutica ser controlada por um número pequeno de grandes multinacionais, concentradas espacialmente nos Estados Unidos, Europa e Japão  (e relativamente fragmentada no cenário mundial) que controlam o mercado com pesquisa e tecnologia para a descoberta de drogas mais eficazes nos tratamentos de doenças, há também as parcerias público-privadas que investem em pesquisas tanto da cura como para melhor tratamento das doenças. E a cura não quer dizer que o problema vai sumir do nada, virá expressa sabe se lá de que forma, de vacina, de comprimido etc., que continuaria a gerar lucros paras os financiadores destas pesquisas e também para os cientistas responsáveis pela sua descoberta. A cura certamente será patenteada o que gerará milhões/bilhões de dólares para os responsáveis pela descoberta. O cientista não terá apenas o ganho material terá também o reconhecimento do trabalho que será mundialmente divulgado, receberá o prêmio Nobel da medicina. Agora me digam a indústria terá o poder de calar este cientista?
Mas aí vão dizer que a insulina surgiu em 1921 e de lá para cá continuamos dependendo dela e que nada foi feito. Sim, realmente já faz um longo tempo que a insulina está disponível para o tratamento da doença, mas ela mesma foi sendo aprimorada. Houve importantes avanços na insulinoterapia, entre eles, os mais importantes foram a purificação da insulina animal, seguida de sua substituição pela insulina humana sintética e mais recentemente, a síntese de análogos de insulina de ação ultra-rápida e prolongada. Todos estes avanços nos proporcionaram maiores facilidades e, fundamentalmente, melhores resultados no controle metabólico. Hoje não somos "normais", como muitos gostam de reforçar... Tudo bem, vamos então considerar que não somos "normais", porque nosso pâncreas não produz mais insulina... Mas temos insulinas a nossa disposição, que desde que usada adequadamente, podemos sim chegar bem próximo à "normalidade". Há também os indispensáveis aparelhos medidores de glicemia, que permite ao diabético controlar ao longo do dia como está a sua glicemia. Exames cada vez mais sofisticados que ajudam a indicar se o seu tratamento está ou não no caminho certo, permitindo assim, cada vez mais evitar as tão temidas complicações (retinopatia, nefropatia, neuropatia). Agora com todos esses recursos disponíveis, os diabéticos devem ter acesso a eles. E para isso existe lei que garante o acesso a esses recursos. Infelizmente, no Brasil, ainda temos que lutar muito pelos nossos direitos, principalmente o diabético tipo I... Aqui sim, são necessárias ações para que a população tenha acesso para que a qualidade de vida dos diabéticos seja a mesma dos que dos indivíduos ditos "normais". Se a população pressionar o governo para que tenham seus direitos garantidos, o gasto por parte do governo aumentará e com certeza, esse mesmo governo vai querer o quanto antes que a cura chegue logo para diminuir gastos! E com isso erradicar o máximo possível o número de pessoas que sofrem com as complicações da doença por falta de um tratamento adequado.
Não acredito que a cura já exista e que sua divulgação foi impedida pela indústria farmacêutica, não acredito que ela tenha este poder. A cura está a caminho, há muitos grupos de pesquisas empenhados na sua descoberta, que pode levar ainda alguns longos anos, mas com certeza ela chegará. Quando a cura chegar, provavelmente ela não será aplicada a nós... Mas com certeza será para aqueles que após a descoberta forem diagnosticados ou que ainda não tiverem desenvolvido a doença...Se fico triste e desanimada por causa disso? Não, nem um pouco... Hoje sou diabética tipo 1, faço uso de todo o aparato necessário para manter uma boa saúde... Mas, se eu experimentasse a cura... o que mudaria na minha vida seria as coisas que faço como aplicação de insulina e automonitoração da glicemia (isso não sei se conseguiria ficar sem fazer, mesmo sabendo que estava curada...rs)...De resto continuaria com a minha vida do jeito que é, pois volto a afirmar, apesar da diabetes conviver comigo 24 horas por dia, eu consigo viver bem. Basta ter uma atitude positiva frente à vida, tenho a doença, mas não sou doente, vivo bem sim!
Para escrever esse texto, tive a rica colaboração das minhas doces amigas Briza e Cristiane... Diabéticas como eu, mas que levam suas vidas "normalmente", sempre com atitudes positivas!

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Depois da coisa feia...a coisa ficou bonita...

Minha vida não é só diabetes! Mas convivo com ela 24 horas por dia...Têm períodos mais tranquilos e outros mais complicados...mas nada que me derrube...O importante é não desanimar e nem se revoltar com a doença. O importante é ir monitorando pra não perder o rumo...Sinceramente, pra mim não é nenhum sacrifício...aplicar insulina, medir a glicemia várias vezes ao dia, controlar alimentação...só não consigo mesmo é fazer exercício físico regularmente...Continuando aqui meus registros semanais... melhoraram bastante em relação à semana passada (165,137,103,143,131,191,140) para 100,93,126,141,111,118,112... e a A1C estimada voltou para 6,3%...Eu considero essencial ter essa A1C estimada no acompanhamento da doença.

"Atualmente, a manutenção do nível de A1C abaixo de 7% é considerada como uma das principais metas no controle do diabetes. As complicações crônicas começam a se desenvolver quando os níveis de A1C estão situados permanentemente acima de 7%. Algumas sociedades médicas adotam, inclusive, metas terapêuticas mais rígidas de 6,5% para os valores de A1C."



segunda-feira, 4 de julho de 2011

Coisa feia! :(


Essa minha última semana não foi nada legal em relação às glicemias... Deslize total...Na semana anterior, minha A1C estimada estava 6,3%... subiu para 6,36%...e as médias glicêmicas estavam entre 100 e 130...agora deu 165,137,103,143,131,191,140...ou seja, preciso rever algumas coisas essa semana pra conseguir melhorar esses números...Essa é a vantagem do controle diário...já pensou se a gente não tem ideia de quanto está a glicemia ao longo dos dias? Já pensou se a coisa se mantém alta? Complicações na certa...